«

»

abr 24

25 DE ABRIL, DIA DO CONTABILISTA

TEMOS SIM O QUE COMEMORAR!

                        No dia 25 de abril comemora-se o DIA DO CONTABILISTA que, em tese, não deixa de ser uma data comemorativa como as demais, levando-se em conta que a escolha dessas datas tem por finalidade relembrar algum fato histórico, lutas, debates, guerras, conquistas, marcos etc., de um povo, de uma região, ou até mesmo de uma classe.

                        Historicamente o dia do Contabilista foi criado pelo eminente Senador João Lyra, em 25 de abril de 1926, por ocasião de um discurso proferido no Senado, no qual exaltou a laboriosa Classe Contábil.

                        O feliz discurso ficou marcado nos anais daquela casa pela célebre frase,“TRABALHEMOS, POIS, BEM UNIDOS, TÃO CONVENCIDOS DE NOSSO TRIUNFO, QUE DESDE JÁ CONSIDERAMOS 25 DE ABRIL O DIA DO CONTABILISTA BRASILEIRO”.

                        Diante disso o insigne Senador João Lyra, tornou-se Patrono dos Contabilistas, cuja maior Láurea Contábil, leva seu nome MEDALHA “MÉRITO CONTÁBIL JOÃO LYRA”.

                        Essa honraria, segundo a Resolução CFC 440/76 é destinada a condecorar os que, no campo das atividades cientificas, educacionais, culturais, administrativas e profissionais, relacionadas a Contabilidade, se tenham distinguido de forma notável para elevação da Classe Contábil, e acontece nos anos de realização de Congresso Brasileiro de Contabilidade.

                        Voltemos, pois, ao assunto que pretendemos abordar.

                        Em 1926, quando foi instituído o dia do contabilista, a contabilidade era executada de forma manual, através da utilização dos livros Borrador, Razão e Diário e os respectivos livros fiscais, Registro de Entradas, Saídas, Apuração do IVC/ICM/ICMS, Inventário e Registro de Termos e Ocorrências, com auxilio da pena, caneta tinteiro e posteriormente a esferográfica.

                        Aos poucos e muito lentamente foi evoluindo para os sistemas mecanizados, com utilização da Ficha Tríplice e carbono cópia, nas maquias de datilografia, as maquinas de contabilidade: Ruff, Ascota, Olivetti, IBM e outras, paralelamente as máquinas calculadoras, com apenas as quatro operações (soma, subtração, multiplicação e divisão), cópias de livros contábeis e fiscais com gelatina, carbono copiativos e coisas realmente bem mais trabalhosas que exigiam uma grande parte do trabalho na operação daquela parafernália.

                        A confecção da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física criada através da Lei 4.625 de 31 de dezembro de 1922, art. 31, preenchida manualmente, depois datilografada com a utilização de carbono para cópia, consumindo noites e noites de trabalho, ao invés de saudável e tranquilo sono.

                        Era verdadeira insânia, difícil até acreditar ser possível executar os serviços daquela maneira, e para os mais jovens, os pós-computadores, mais difícil ainda imaginar que um dia, foi feito contabilidade sem o uso dessa tecnologia.

                        Dificuldade maior ainda era o preenchimento de formulários relativos às obrigações acessórias, o mesmo serviço sendo feito por mais de uma vez.

                        Meados da década de 70 em diante com a utilização dos Microcomputadores e softwares a evolução foi assustadora, inclusive para nós que laboramos antes e depois.

                        Com certeza a evolução na última década foi maior que todo o período anterior, graças aos HARDWARES e SOFTWARES.

                        Hoje, todos os sistemas operacionais estão interligados, Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) e todas as obrigações acessórias interligadas ao Sped (Sistema Público de Escrituração Digital), é possível executar o serviço apenas uma só vez, depois através de comandos nas máquinas, sozinhas vão fornecendo as informações necessárias.

                        Aliás, a evolução da contabilidade sempre esteve associada ao desenvolvimento da sociedade como um todo e, certamente, não poderia ser desarmônica com esse desenvolvimento.

                        Os avanços trazidos pela evolução da informática e o advento da internetintroduziram no campo empresarial, bem mais que meras sofisticações operacionais, trouxeram novos modelos gerenciais, inclusive ampliando o campo de atuação do profissional da contabilidade, – que antes tinha se transformado em mero fazedor de guias de tributos, – hoje um profissional que analisa dados/números e auxilia nas tomadas de decisões, desempenhando seu verdadeiro e real papel.

                        Diante de toda essa evolução, ainda somos forçados muitas vezes trabalhar finais de semana e feriados, porque estamos vivendo a consolidação dos novos modelos de controle de arrecadação (sped), que num curto tempo abrangerá todas as obrigações acessórias, humanizando a tarefa e o labor do Contabilista.

                        Sem sombra de dúvidas, com toda essa evolução temos muito a comemorar nesse 25 de abril, porque valeu apena, além de tudo ainda passamos de simples guarda-livros a Profissionais da Contabilidade, um  profissional eclético. Embora, hoje no nosso dia, os contabilistas estejam trabalhando no preenchimento das Declarações de Ajuste Pessoas Físicas, que encerra o prazo de entrega no dia 30 de abril, não podendo comemorar aos moldes brasileiro através de festas (muita comida, bebida ao lado de amigos e familiares embalados ao som de boa música), mas será comemorado com muito trabalho em nossos escritórios, ao lado de nossos colaboradores, embalados ao som da sublime frase que instituiu o Dia do Contabilista, “Trabalhemos, pois, bem unidos, tão convencidos de nosso triunfo. . .”

 

LUIZ GONZAGA WARMLING

Vice-Presidente da Câmara de Fiscalização, Ética e Disciplina do CRCMT

Diretor de Assuntos Legislativos e do Trabalho do SESCONMT e,

Empresário Contábil em Cuiabá/MT.

 

Fonte.

1 comentário

  1. diego

    Parabéns para toda a classe!!

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>